quarta-feira, 1 de novembro de 2006

(51) A CRISE





O puto parece preocupado, agressivo ou chateado ? Não
Para o futuro garantir, apenas presta atenção ao jornal que tem na mão.
Na escola já pouco aprende, basta ler ou soletrar e até cem saber contar
No desenho é a estrelinha e depois é acertar.
Lá em casa ? É mais do mesmo.
A mãe, o pai, o irmão e pensaram, vejam bem, dar ao gato essa instrução (qu’ele até vai arranhando !).
Grandes descobridores, antigos donos dos mares e de meio mundo também, ficou daí a mania que o trabalho é fantasia e coisa que não convém.
E assim a navegar, dou por certo irmos ao fundo.
Mas já sendo campeões, pois com a França lideramos o gasto no euromilhões, não interessa mais a crise, se há dinheiro para comer, nem tão pouco para vestir, o que interessa, podem crer:
É apostar, apostar,
alguém há-de pagar
e o que der é para curtir

1 comentário:

preconceitos disse...

De Maricel a 2 de Novembro de 2006 às 06:39
Não sou tão pessimista. Talvez uns vão mesmo ao fundo, mas sempre haverá quem consiga equilibrar a balança.
O Povo Português, além de Poeta, é um Povo Sonhador (essa a razão de tanto apostar, tem sempre a Esperança...).

A "CRISE"´, é nos períodos de grandes crimes que a Imaginação mais se desenvolve, há que Improvisar, Renovar, Inventar, tem que se seguir em FRENTE..

De solcar a 2 de Novembro de 2006 às 11:30
O sonho é indispensável à vida.
Há que concretizar, ao menos alguns.
Isso dá trabalho a que muitos dizem: chega para lá.

De Maricel a 2 de Novembro de 2006 às 23:57
Correcção comentário anterior - onde se lê crimes, deve ler-se crises.
Claro concordo, se não se realizar um sonho de quando em quando, perdecce a Esperança.