quinta-feira, 12 de outubro de 2006

(42) BLÁ-BLÁ






É habitual.
Acontece bastas vezes em baptizado, casamento ou funeral à conversa se meterem pessoas que nunca vimos e ali estão de circunstancia.
Este tipo de intruso, no seio de tanta gente, nem notado seria se não fora tanto abuso.
Fala pelos cotovelos, do que sabe e que não sabe, e não se dá ao recato, conta histórias sem interesse, e por vezes anedotas, sem respeito pelo acto.
Para que fique avisado, aqui lhe deixo o recado, fique atento. É sempre bom duvidar daquilo que muitos afirmam e voltam a repisar.
Se nos comes e bebes, trincando perna de frango, da conversa faz despesa, bastas vezes afirmando:
-Gosto muito de animais.
Não se exalte, não conteste, pode ser não fale mais.
Se porventura insistir no presunçoso discurso, pergunte mas sem calor:
-Gosta deles por amor ou é somente o sabor ?
Se ofendido e ofensivo, ele de todo se abespinha, não terá outro remédio e volte a perguntar:
-Oh homem então que mal lhe fez a galinha ?

Moral da história:
Tenhamos cuidado ao generalizar que gostamos de animais pois, lembrando a servidão, teremos de dizer quais.
SEM PRECONCEITO

1 comentário:

preconceitos disse...

De Di a 12 de Outubro de 2006 às 18:50
Ser vegetariana é uma iéia que já me seduz há muitos anos, mas bolas, ainda não consegui ! Depois, surge ainda a questão séria : Que mal nos fizeram as plantas....??? Elas também são seres vivos.... E aí meu querido Solcar.....tenho que te dar razão.....dou a mão à palmatória....aí sim! Entra a servidão!
Boa, convenceste-me !

De Maricel a 18 de Outubro de 2006 às 23:31
O que li acima, me fez lembrar uma peça de Teatro que fui ver há muitos anos "Daqui Fala o Morto" era exactamente a encenação de um velório.
Talves tenhas visto era com o Grande e Saudoso "MÁRIO VIEGAS".
E lá estava o intruso, que sorrateiro, se misturava, e por sinal contava anedotas.
Temos que os aceitar, ignorando-os.

De preconceitos a 19 de Outubro de 2006 às 16:01
Por vezes são persuasivos.
Não basta ignorá-los. Evita-os.