sábado, 20 de dezembro de 2008

(207) Natais

obséquio da NASA

Tenho alguma dificuldade em aceitar o compasso da marcação dos tempos, estipulando-se que hoje é isto, amanhã aquilo, constituindo-se rituais geradores de grandes pressões, ansiedade nas pseudo obrigações, preocupação no vinculo da lembrança e, em grande parte dos casos, considerando o facto uma seca.
Exemplo: Porque havemos de festejar aniversários e não "diários"?
Afinal seria mais coerente, após receber a dádiva, dia a dia, quando acordamos e nos é permitido festejar a rota do sol, fazê-lo em pleno, esquecendo os desaparecidos ontens e os enigmáticos e talvez inexistentes amanhãs, omitindo memórias e vivendo um pouco como os outros animais nossos contemporâneos.
Com todas estas marcações de natais, páscoas, carnavais e quejandos, lá somos nós levados a anexar a essas datas, as nossas alegrias e tristezas coincidentes, coisas afinal diariamente connosco mas nessa altura exacerbadas.
Este é o meu sentir e, para os que comigo concordam e para os outros cujo sentimento difere, a que tem todo o direito, deixo aqui os meus melhores votos de saúde, serenidade, luz e amor, garantindo mais uma vez que os amigos são exactamente como algumas estrelas, posso não os ver mas sei exactamente que estão lá e também no meu coração.

4 comentários:

alcinda leal disse...

Também não sou muito de Natais!
Sonho com o dia em que possa sair daqui por uns dias e voltar quando tiver acabado a euforia!
Bjs
Alcinda

Anónimo disse...

Tens toda a razão, e sim, os amigos tbm estão no meu coração. Desejo-te as maiores felicidades acondicionadas em Paz,"embrulhadas" em Luz e decoradas com laçinhos,laçarotes e fitinhas de Amor.
Beijão
Di

Andradarte disse...

Gostei.Não totalmente de acordo mas no escencial.
Tambem fujo das festas tradicionais,mas não do espírito:esse está em qualquer lugar, para onde a gente se desloque. Abraço.

Leandro Guedes disse...

Bem amigos, tem que aparecer alguém que goste do Natal - eu, vejam lá.
E gosto muito. Apesar de hoje fazer 14 anos que a alguém faleceu o Pai; apesar de haver alguém que tem um tio no hospital há 15 dias, com 82 anos, com problemas graves do coração; apesar de haver outro alguém que tem um sobrinho Rui com 36 anos e que está a debater-se com um terrivel "prenda" que lhe chegou há dias, no intestino, para nos lembrar que a vida não são só flores - para ele traduzidas em dois belos filhos. Vai ser operado no principio do mês.
Mas continuo a gostar do Natal.
Sempre gostei, desde miudo. E não será por isto que vou deixar de gostar do Natal.
Acho que pela Sua mensagem de solidariedade, de compreensão, de amor uns pelos outros, de boa-vontade (cada vez mais, utopias...).
Boas Festas a todos, com um grande abraço do
Leandro Guedes