segunda-feira, 6 de agosto de 2007

(84) TUDO AO MOLHO


Por questão disciplinar e pessoal, devo explicação pela arrumação dos meus textos.
A solidão, loucura e preconceitos passeavam em cantos separados e a dificuldade de arrumo surgia evidente a cada texto, por não ser tarefa de somenos atribuir tema ao mesmo.
Por vezes, na solidão esboçado, descambava em coisa louca, sempre acabando a beber das fontes do preconceito, onde as águas serão felinas ou no menos muito turvas.
Assim me ia perdendo no trilho e na parcela de gozo a extrair com licitude destas coisas, algumas com algum sentido, outras com nenhum ou porventura com muito. Como vamos saber ?
Resolvi por tal unificar e, para sair da encruzilhada, migrei.
Sendo agora a confusão semelhante, a via é única e será o próprio texto ou quem o ler a topar o seu ninho.
Não havendo tarefa sem ossos, obviamente eles surgiram.
Algumas imagens perderam animação e a consequente graça e os comentários que muito prezo tiveram de ser passados em bloco por cada texto, embora conseguisse manter os emissores e as datas.
Tudo isto crueza e fruta verde da árvore do meu incipiente conhecimento destas andanças.
Enfim... a coisa ficou dormida e, de vez em vez, lá me regalo, com maior eficácia, a reler o anterior paleio, estranhando alguns estados de alma de então, como se de meus escritos se não tratasse.
Para terminar e reiterando a vantagem, lá estaria eu agora â procura de poiso para este texto.
Resulta ele da minha boa solidão, do meu felino preconceito ou quem sabe da minha mansa loucura ?

1 comentário:

ana ilda disse...

Resulta a partir do momento em que a mudança de vida comece por si, meu querido amigo , seja com saudável solidão, com preconceitos e tamanhas loucuras que é afinal o que todos desejamos .

um abraço

ana