domingo, 22 de abril de 2007

(76) O ADEUS

Fui cativado, como a raposa, e à lembrança me tem vindo a florinha amarela.
Hoje mesmo fui ao sitio, mais o aperto que a ideia fatalista e o presságio me emprestavam.
A confirmação logo tive. O seu sitio abandonado.
Alguém a colheu, ou pisou, e, nesta última hipótese, o vento que a trouxe a levou.
Tenho menos! Mas algo dela me ficou e, nos picos do silencio, chamo-a ao meu coração e não ficarei tão só.

2 comentários:

preconceitos disse...

De Yuki a 2 de Maio de 2007 às 22:24
Que bom voltar a lê-lo... assim!

ana ilda disse...

O seu coração transborda ternura....