quarta-feira, 22 de fevereiro de 2006

(5) O SONHO

Vão longe esses Natais de sonhos realizados.
De dia, e por liberalidade dos Sapadores Bombeiros, um embrulho de cores brilhantes, ciosa e cuidadosamente sobraçado e, à noite, a magia duma repleta chaminé dum familiar abastado, onde o meu sapato colheria outro modesto presente.
Sempre simples e modestos mas eram o prémio do sonho, sonhado e afinal realizado entre as diversas fantasias do faz de conta.
Ao relembrar, tentei recrear, procurei o fato, o gorro, as botas, antecipadamente deixara crescer a barba, branca e natural como convinha, e tentei... tentei sem êxito alcançar as renas.
Outro sonho, como tantos outros que não vou realizar
.

7 comentários:

SILÊNCIO CULPADO disse...

Amigo Preconceitos
Apesar de nos conhecermos há pouco tempo aprendi a gostar de ti pela tua capacidade de amar as coisas simples, únicas coisas que têm valor para quem sabe amar.
Eu acredito ainda nas pessoas e na sua capacidade de desenvolverem sentimentos e percursos que contrariem este longo caminho de materialismo e individualização. Sei que aqui haverá um contributo e uma vontade dum mundo mais justo e equilibrado.
Desejo-te um Feliz Natal com tudo o que de bom tu desejares.

NINHO DE CUCO disse...

Feliz Natal e próspero Ano Novo para ti e todos os teus.

sol poente disse...

Feliz Natal para quem contribui para a solidariedade, a justiça social e a evolução da humanidade através do esclarecimento.

maria anonima disse...

Sim senhor, gostei de ver o blog, ou melhor, os blogs!
Há muito tempo que queria fazer o "gosto ao dedo" e foi hoje. O resto ficou para trás, o dedo lá clicou e os olhos foram lendo, interessados. Os neurónios praticamente não trabalharam, por isso foi pouco mais que fazer o gosto ao dedo, mesmo. Como agora, que vou escrevendo ao sabor do... dedo.
Sim, que já baralhei os textos todos, os comentários, os perfis, os afins, enfim...
Uma coisa é certa: não alcanças as renas pq. agora são as tuas princesinhas que correm atrás delas! E a sorte que elas têm de ter em casa um Pai Natal ao vivo (e a cores), cabelo e barba branca, a que talvez falte só o barrete e por certo "a pança"!...Teoria que só comprova que na natureza nada se perde, tudo se transforma!
Sim, que a natureza é perfeita e sábia: como podiam elas realizar os sonhos se ninguém lhos alimentasse? Já viste? Alimentador de sonhos não é para qualquer um. Não vale a pena tentar recriar. Já criaste muitos sonhos em muita gente e continuas a criar. Como se vê pelo modelo anexo...
E que bom que as renas continuem à frente. É bom que essa distância se mantenha: pode até encurtar um bocadinho, mas desaparecer, não! Então depois corrias atrás de quê? De quem? Pois se o sonho comanda a vida, já dizia o poeta... Afinal ainda vão existindo alguns sonhos. De outro modo batíamos com o chaço mais uma vez na dura realidade, fria, implacável, dura!
Contenta-te lá com o presente simples e modesto de teres uma família que te adora, que em muito depende de ti e prova os sonhos na mesa. São doces e não fazem mal, se comidos com moderação.
Pronto, fica com mais este embrulhinho de presente, embrulhado em cores de arco-íris, e pára de lamber as feridas. A chaminé continua a crepitar se a acenderes e se lá puseres o sapatinho ainda lá podes encontrar um presente. Nem que seja um sonho."
Maria Anónima

preconceitos disse...

Pois o REi, RAINHA, PRINCESAS e ALGUNS OUTROS, foram sonhos que passaram a habitar o palácio do meu coração.
Há sonhos, num país de faz de conta que vão e vêm, para manter a esperança. Não podemos deixar fugir as renas, se queremos manter alguns.
É tempo de criares um blog Maria Anónima, do Céu não te vai cair. Nem sonhes... Beijinho

SILÊNCIO CULPADO disse...

Muitos sonhos serão realizados quando o crer e a persistência se sobrepuserem às expectativas. Às vezes não encontramos o que procuramos mas encontramos outras coisas mais valiosas ainda. O que é preciso é que tomemos consciência delas.

**** disse...

Que encontres sempre o que precisas, mesmo que não seja o que procuras!
Beijinhos de Boas Festas para ti e todos teus!
Sarasvati