terça-feira, 1 de abril de 2008

(138) AS VISITAS

Há quem adore visitas, outros nem tanto.
Vou situar-me na segunda hipótese, a menos venham a mim sem intenção da banalidade.
Os que trazem algo na cabeça e não chegam aperaltados, até gosto do bate papo sempre proveitoso.
Isto, claro, para visitas olho no olho.
Aqui é diferente
Quando permiti no blog a visita de todos, fui empurrado a três.
Primeiro, e entre tantos miles de blogs, passaria sem me lerem.
Segundo, se por acaso me visitassem, talvez até criticassem e provocassem alguma emenda nos disparates que passo.
Terceiro, visitassem ou não tanto me faria, este era o meu canto, sempre resguardado e guardado para lembrança futura, se é que isso existe.
Passados estes primeiros anos fiquei no meio, onde mora a virtude.
Visitam pouco.
Alguns curiosos que abrem, vão e não voltam, outros que não conheço abrem e com simpatia comentam, voltando por vezes, e alguns voltam dão o carinho e a ternura da amizade, vendo maravilhas porventura apenas existentes no filtro do seu coração.
Há outros ainda, também amigos, nunca comentando por escrito, fazem uso da critica oral.
O insólito vem do sul, de cidade bem airosa.
Alguém visita, visita e insiste.
Sei até ser a minha visita mais constante.
A essa sim, sou eu que peço um breve comentário, mesmo de maldizer.

2 comentários:

alcindaleal disse...

Caro professor eu até sou de uma bonita cidade do sul, mas comento sempre ,identificada, os seus textos...
Sabe prof eu acho que nos blogues nós pomos alguns dos nossos interesses mas nunca nos despojamos,de forma clara!
Mas olhe que as cidades do sul e os visitantes do Sul são muito acolhedores!Bjs

biabisa disse...

Olá Mestre! Gostaria de pertencer às suas visitas que conversam alguma coisa de útil. Vontade tenho, mas não entro muito no interior dos outros. Também detesto as convivências que apesar de muito falarem, nada dizem. Acho essas visitas até um pouco incómodas. Que lhe parece? Mas, infelizmente é a maior parte.